Ocorreu um erro neste dispositivo

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

A MINHA PÁTRIA É A LÍNGUA PORTUGUESA


 


… dizia o poeta.

Para mim esta foi sempre uma verdade incontestável e ainda hoje quase me emociono quando, num canto longínquo do Mundo, ouço uma palavra, uma frase, uma conversa em português. É como se a Pátria ficasse ali, à distância duma mão .

Sempre gostei de palavras. As que se dizem, as que se escrevem e as que nos bailam apenas no pensamento. Gosto de brincar às escondidas com elas e deixar-me encontrar, assim, desprevenida, como se fossem elas as protagonistas da minha história e não o contrário.

Há poucas coisas que me revoltem tanto como ouvir uma “ calinada” ( sim , existe a palavra, vão lá ver, vá…) por vezes da boca de quem menos se espera.

O acordo ortográfico foi a Olivença da nossa língua: perdemos para sempre um pedaço de nós em prol duma suposta evolução ( semântica? Lexical?), criando uma Babel tal que damos por nós ( dou por mim!) a escrever com erros, alguns de palmatória.

Sejamos francos: todos nós em algum momento, damos erros ortográficos! Agora menos , valha –nos o Santo Corrector Automático. Mas até esse se baralha com trocas e baldrocas, com “c” que caem e “c” que ficam.

Isto sem falar de quem, com algumas responsabilidades públicas, camufla a coisa com uma dislexia . enfim…

Oralmente a situação torna-se muitas vezes constrangedora ( sobretudo para quem ouve porque a ignorância de quem fala amortece qualquer laivo de vergonha ). Ouvir vezes sem conta “ hades” ( e não , não é o Inferno!)” foi” em vez de “fui” ou “artesões”, da boca de gente que tem responsabilidades como figura de referência .É coisa para me fazer ter pesadelos e pensar que quem assim fala não pode ser competente no que quer que faça. Isto porque o erro não é casual: persiste e perpetua-se.

Levei tempo a recompor-me da entrada da Guiné Equatorial na CPLP. Mas feito o luto a mais esta venda de Portugal ao quilo ( em inglês Selling Portugal by the kilo. que música isto não teria dado …) não me contenho !

Expliquem –me cá o valor das siglas. Já nem vou tão longe como discorrer sobre o simbolismo e o espirito da coisa. Não, vou apenas limitar-me à sigla.

UE – União Europeia. Certo!

EUA – Estados Unidos da América .Certo!

BES – Banco Espirito Santo . ( ai… pois… ) . Certo.

CPLP – Comunidade de Países de Língua Portuguesa . Errado.

Ouvir o senhor Obiang a falar castelhano foi a gota de água (…rrás! É assim que se escreve não é?) que acabou com a dita comunidade.

Sejamos sérios. Que papel desempenhou a CPLP em prol da língua do pobre Camões que a esta hora já não anda às voltas no túmulo porque está em pó, mas de certeza que lamenta não ter escrito os Lusíadas em alemão?

Se calhar essa não era a prioridade. Se calhar o desiderato da Comunidade era promover a cultura, a história, a literatura, a cooperação com os países que, algures no tempo, estiveram ligados a este rectângulo periférico da Europa  chamado Portugal.

Ou se calhar foi criada só porque sim e ponto final. Cá por coisas inclino-me mais para esta última explicação!...

Mas admitir que o presidente Obiang falasse outra língua que não a nossa , numa manifesta  falta de consideração para com a comunidade que erradamente lhe tinha aberto as portas, é rebaixarmo-nos para lá do limite da decência!!!

Que raio, não havia ninguém que o ensinasse a dizer “ Obrigada”, “Estou feliz por…” , “ Bom dia”, aquelas coisas que os artistas estrangeiros dizem com um sotaque de morrer mas que levam à loucura uma multidão inteira perante tal milagre ?

A Língua Portuguesa afinal pode ser falada em francês, castelhano, inglês, mandarim…basta que venha escrita em notas de banco.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

MELHOR QUE ISTO SÓ JESUS CRISTO...






E pumba! mais um tiro num banco sólido com consequente naufrágio titanicânico ( de Titanic ok ? Não tenho dislexia mas gosto de inventar palavras. E sim por vezes dou erros como qualquer mortal mas não é o caso.).

Este Mundo neo liberal desenfreado faz-me imensa confusão e deve ser por isso que, não sabendo navegar neste jogo de Batalha Naval, tento manter a cabeça à tona o que é cada vez mais difícil porque está na minha natureza fazer ondas.
Não entendo! Juro que não entendo! Sei que money makes the world go round - não sou ingénua a esse ponto - mas é preciso ser apenas o dinheiro a ditar as normas??
Não se faz jornalismo isento porque quem quer preservar o seu ganha pão tem que alinhar pela masters voice. E quem é , eihn, quem é? Pois está claro. o accionista que entretanto comprou meio empório de media e está de olho no restante para deppois fazer o que bem quiser com os jornais, rádios , televisões ... Pouco importa que seja analfabeto. Tem dinheiro, compra e decide.
Independência informativa à vida. Checked!
As decisões políticas são tomadas pelo poder económico que primeiro nos sorriu com oásis fáceis e ao nosso alcance para depois nos apresentar a conta do usufruto. está bem de ver que como não tínhamos com que pagar, magnânimos emprestaram-nos o dinheiro com que lhes pagamos a dívida a juros chorudos. Poder político com estratégia e interesse nacional pro galheiro- Cheked!

Que a História é um enorme parabólica é uma realidade. Que este países sempre pertenceu a meia dúzia de famílias intocáveis, também é do conhecimento generalizado. Agora que sejamos um povo que continua a manifestar-se por picuinhices, que se insurge contra a selecção nacional de futebol ( que lhes dá um lucro!!!!.....), se mantenha calado perante estes escândalos constantes isso a mim continua a fazer-me confusão e azia.
Caramba!! Mas será que não está bem de ver que esta questão do BES rebenta em pleno Verão porque está tudo a banhos e a onda que devia ser um tsunami, fica reduzida ao tamanho, vá lá..., da Nazaré em dia de surf??
Então de repente uma série de pequenos accionistas com meia dúzia de tostões suados vêm as suas poupanças irem por água abaixo e o nosso PM mantem-se a banhos e o gestor danoso vai para a Comporta com uma caução de 3 milhões de euros?? 3 Milhões????? "Ai e tal é a maior caução alguma vez aplicada em Portugal..." nem nisto deixamos de ser pequeninos , pobrezinhos tacanhinhos!! 3 milhões são uma ninharia para quem embolsou cem vezes mais!! Mas não há ninguém que recorde o caso Madoff??? Ninguém que tenha ... taramenhos ... para dar um murro na mesa e dizer " Basta " e fazer justiça? Ou de facto a minha avó sábia como só ela na inocência do seu analfabetismo, tinha razão quando dizia que quando todos comem da mesma barrela não se distinguem os varrões dos marranos.
Mais eruditamente posto: Melhor do que isto só  Jesus Cristo que não sabia nada de finanças, nem consta que tivesse biblioteca. Caro Pessoa, cada vez estamos mais longe de cumprirmos Portugal!