Ocorreu um erro neste dispositivo

domingo, 29 de maio de 2011

FIXED

Há dias em que a ausência dos que partiram nos bate com uma violência que nos tira o fôlego, nos deixa exangues, atordoados.
Onde estarão os que se foram? Desapareceram pura e simplesmente? Resta deles apenas a memória? Não consigo acreditar. Seria tão pouco!
E no entanto é essa memória que hoje me dói!
Quem parte deixa sempre uma parte
deixa sempre um pedaço que construi.
Quem fica fica sempre sentado
fica sempre parado
com o peito ao frio.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

WAITING FOR THE SUN




Curiosamente os movimentos cívicos tiveram lugar nos países onde os direitos dos cidadãos são letra praticamente morta.



“ Precisamente por isso!” – dirão alguns.



Talvez.



Mas o que é um facto inegável é que os protestos de rua, as grandes concentrações aparentemente espontâneas e sem liderança visível, como movimento de fundo da massa anónima, tiveram origem nos países árabes onde o despotismo, a corrupção e a estratificação social são flagrantes.



Ninguém que tenha o olhar habituado a ler a História e os movimentos sociais, terá a ingenuidade de pensar que estas manifestações nascem apenas da vontade, do desencanto, de desespero e da muita raiva contida no individuo anónimo . Obviamente que são orquestradas, utilizadas e orientadas. Mas o facto de o serem tão subtilmente, de maneira tão low profiled , dão àqueles que dele participam de coração aberto e vontade plena, a sensação de serem senhores das suas próprias decisões e actos.



Os resultados estão à vista e vêm comprovar a força da sociedade civil face ao poder instituído.



Já na década de 90 do Século passado, tivéramos um exemplo que embora não tenha resultado como era pretendido, teve o enorme mérito de alertar uma opinião pública internacional adormecida , para o jugo que o gigante chinês impunha e continua a impôr aos seus cidadãos. Penso que ninguém conseguirá esquecer a imagem do pequeno chinês desarmado, só, empunhando a coragem dos que têm para si apenas a razão dos seus ideais, enfrentando um tanque que, por contraste de força , parecia ainda maior, enorme, ameaçador!



Nos últimos meses as grandes praças de países como o Egipto , a Tunísia ou o Iraque encheram-se de gente que protesta assim, aguardando que a pressão internacional, por meio dos media, force a renovação, a transição de regime.



A imagem dum mar de gente pacifica, que se limita a gritar palavras de ordem, expressando o seu protesto, começa já a ser indicio de mudanças, se não radicais pelo menos consideravelmente importantes nos sistemas políticos e sociais.



Ora quando movimentos semelhantes começam a surgir na Europa e de forma mais concreta nesta Europa periférica onde são flagrantes os desníveis sociais, onde o desemprego aumenta á medida que o limiar de sobrevivência diminui, onde a corrupção é tão descaradamente brandida que se tornou sinónimo de poder instituído, económico ou político, onde os jovens dizem-se à rasca e onde se começa a assistir a novo fluxo emigratório, quando tais movimentos começam a surgir, vão por mim: o fim está próximo!



Esperemos que a tempestade não se transforme num simples aguaceiro e dê início à bonança duma nova era!



terça-feira, 24 de maio de 2011

PERDIDOS NA TRIBO DOS TUGAS

O quê? Já acabaram os debates da campanha? Logo agora que já me estava a habituar e achar graça à coisa....! Ora bolas!
Bem resta-nos os Perdidos na Tribo para a malta poder dar risadas da inépcia dos nossos, soit disant, famosos e do seu completo desajustamento à realidade em que se propuseram viver.
Aliás o Perdidos é o reality show mais real que eu conheço! Ajustado ao momento e à situação. Um mimo!
Cabe lá tudo:
Um José Castelo Sócrates desfilando os seus modelitos, confundindo tudo e todos, fazendo grandes cenas perante as contrariedades, dando-se ares de grande senhor, capaz de pactuar com o jogo mas só até ao pnto deste não pôr em causa o seu estatuto ou dar muito trabalho. Quando tal acontece vira costas e grita "Leave me alone!!!!!! Vocês é que provocaram a crise!"

Um Zeca Louçã, indignado com as condições da coisa. Ele continua convencido que o caviar é de facto o prato principal da esquerda moderna e progressista e( que diabo!) ninguém o tinha avisado que podia levar com uma chuvada nos costados enquanto dormia! Assim não vale!!

Um Pedro Sérgio Passos Coelho, muito aguerrido, muito capaz, contra tudo e todos, ar másculo ( ok aqui a coisa não é muito parecida mas adiante...) mas é só tocar-lhe no ponto fraco e vá de desfazer-se em lágrimas e chamar pela mãmã. Mas tem uma costela africanista segura, na pose do chapéu e nos antecedentes familares. Isso ninguém lhe nega!!

Um Paulo Kapinha Portas saltitando alegremente, fazendo de conta que tudo corre de feição, achando imensa graça a tudo e todos mas que quando se trata de dar o corpinho ao manifesto... bem já diz o povo que o trabalho caleja as mãos. Ele bem se esforça para pôr o machado à árvore mas falta-lhe jeito pra coisa!

O Jerónimo também por lá anda mas tão discreto que quase não se dá por ele. Tem dias que se arrasta como a Io, outros em que bebe sangue e vira pomba gira ... enfim um indiferenciado.
Isto tudo para estupfacção dos indígenas, que se perguntam donde foi que sairam aquelas aves raras e que raio pretendem de facto.
 Nós os pretos , que comemos as larvas com se fossem caviar e não protestamos, que andamos de tanga e os deixamos de pudendas tapadas, que trabalhamos até ao limite e não entendemos como podem estes predestinados olhar com tal desprezo o nosso esforço.
O que vale é que vai haver um conselho de tribo proximamente.
Vamos ver se resulta e se os entram na linha duma vez por todas.
  Apetece-me imenso pô-los a todos a apanhar à mão, a merda que nos fizeram!!

quinta-feira, 19 de maio de 2011

TRISTE DESTINO ESTE!!!


A saber: perdermos identidade nacional!!!

É da minha vista ou as bandeiras da foto são todas menos a portuguesa?
Bem sei que não se tratava da Selecção Nacional mas tão pouco era a latino-americana team!!!
E o clube ainda é português... ou não? De facto são poucos os jogadores nacionais presentes mas ... convenhamos!
O problema é que este é o reflexo do país. Somos tão bom país de acolhimento que acabamos por alienar a nossa entidade em prol da dos outros!
O nosso destino será mesmo diluirmo-nos no anonimato da História???

quarta-feira, 18 de maio de 2011

MAMA MIA!

Tenho a sensação de que perdi aqui alguma coisa!!!
Afinal a Europa já aderiu ao Federalismo, foi? Temos um governo centra,l é?
E eu a pensar que ia votar no dia 5 para as legislativas portuguesas!!! Afinal parece que não!!
Ó Diabo! Será que estive em coma, ou fiquei com amnésia e ninguém me avisou?
Esperem aí um bocadinho que eu vou beliscar-me e já teclo!
UUUUIIIIIIIIIIIII!!Nop! Tou mesmo aqui e acordada!~

Então alguém me consegue explicar a razão pela qual a xenhora dona Merkel se acha no direito de propôr, quase em tom de comando, que se aumente a idade da reforma e se reduza o tempo de férias de Portugal, Grécia e Espanha???
Sobre a questão em torno destes dois últimos não me pronuncio. Cada um que acuda aos seus. Agora sobre o meu país, desculpe lá dona Merkel, mas mais devagar!
Bem sei que " Quem paga é quem manda", mas neste caso a dona Merkel está a esquecer-se que a Alemanha foi dos países mais favorecidos pelo alargamento da UE, pela constituição do mercado e moeda única e pela destruição do sector primário do nosso país! Destruição que financiou, que impôs e que lhe foi de utilidade curcial aquando da unificação das duas Alemanhas e da depressão que então sentiu.
Esquece a senhora alemã que um dos pricipios da democracia ( isto partindo do pressuposto que esteja familiarizada com o conceito !) resulta em que para deveres iguais(?), direitos iguais.

Talvez fosse bom alguém recordar à senhora dona Merkel que a carga semanal do horário de trabalho em Portugal é superior à da Alemanha. Já agora alguém pergunte à senhora qual o poder de compra, o nível de vida  e o salário médio dum alemão. Estará ela disposta a que essas mesmas condições se estendam a este país periférico?
Compare-se o apoio à maternidade dum e doutro país, os subsidios dados às familias, o apoio às escolas, o apoio à saúde.Isto assim só à primeira vista.

Depois, já agora, alguém que convide a senhora a vir a Portugal para conhecer ao menos a geografia do país que se propõe governar em controlo remoto.

A senhora dona Merkel não é uma europeista, mas à boa maneira da antiga RDA, assume uma posição regional e nacionalista que pode dar mau resultado.
Daí que caso se mantenham as eleições de 5 de Junho, talvez fosse boa ideia que daí saisse um governo que se porte como lider duma Nação independente, com oito séculos de História e com um povo que nunca se deixou colonizar.
E para os que afirmam que essa coisa dos oito séculos e tal é passado, digo :  passado conta, sim! ~
E isso é o que me aflige! É que dos lados da senhora dona Merkel nunca veio nada de bom.


terça-feira, 17 de maio de 2011

MEDO DO ESCURO

Tenho medo!! Há dias assim em que acordo ensopada num suor espesso e tudo ao meu redor tem cheiro de medo.
Assalta-me sem aviso prévio e preciso de meia hora debaixo do duche para o fazer sair. 
Outras vezes vem assim de mansinho ao longo do dia. Um passinho aqui outro ali até me tomar totalmente como um caçador ávido, sedento .
Os que me conhecem a esta hora  já leram meia dúzia de vezes o título do blog, e procuram uma mensagem onde denuncio a tomada abusiva deste espaço por alguém que decidiu publicar o que muito bem lhe apetece . Não gente ! Sou eu mesmo. Eu que não tenho medo de armas nem de toiros. Que nunca fui prudente na vida. Que se ri quando alguém fica histérico com as histórias de países longínquos onde fui , me perdi e me encontrei.
Pois sim . Mas tenho medo!
Medo de não saber em que ou em quem acreditar! Medo de cabalas , de intrigas. Medo do mal em estado puro, capaz de levar a matar crianças por prazer, capaz de agredir por puro deleite.
Medo de chegar a um ponto onde não consiga distinguir o bem do mal, o certo do errado. Medo de não ser mais do que uma marionete nas mãos de senhores que se arvoram em deuses e me moldam a vontade, os gestos sem que eu me dê sequer conta. 
A sensação que por vezes me assalta é que nada disto é real. O que vemos, o que ouvimos são apenas imagens que nos projectam sons que nos fazem escutar mantendo-nos presos numa caverna onde do Mundo só nos chegam as sombras.
Vou deitar-me a pensar se somos governados realmente por uma alcateia ou se de facto alguém tramou o coelhinho francês!!
Seja qual for  a verdade, sei que terei pesadelos !

segunda-feira, 16 de maio de 2011

A POLITICA A JUSTIÇA E O FECHO ÉCLAIR

A imunidade diplomática e parlamentar foi criada com o objectivo de facilitar o trabalho, nem sempre fácil de entender, mas que visava o bem comum e como tal teria que estar acima de algumas regras . ALGUMAS!
Não se entenderia que um diplomata tivesse que aguardar na aduana ou ter a sua bagagem revistada, para poder entrar num país. Ou que se passasse uma multa de estacionamento ou de excesso de velocidade  numa visita oficial.
Tá bem de ver que estas regras foram criadas quando os políticos e os diplomatas tinham orgulho no que faziam e assumiam o papel de representantes duma Nação ou instituição, que estavam ao serviço dum grupo ou dum povo que neles tinha os olhos postos e deles retirava exemplo. Mas esses são tempos idos!
Assim começámos a assistir a diplomatas correios de droga e contrabando e a outros que acabaram como " personas non gratas" por terem sido apanhados mais que uma vez a conduzirem embriagados nas suas missões de acolhimento.
Quando pensávamos que já tínhamos batido no fundo em questões  envolvendo grandes figuras da cena politica nacional e internacional, como o caso do charuto do Clinton ou a rica familia do nosso primeiro ministro, passando por um caixa que chega a Administrador da Caixa e que adora robalos ( não sei se entendem o trocadilho desta fantástica língua que é a nossa....!!) eis que nada mais nada menos que o senhor FMI é apanhado e acusado de tentativa de violação duma... empregada de hotel???
A primeira reacção é pensar-se numa cabala. Montaram uma armadilha ao homem... o euro vem por aí abaixo... ok!
De facto não faz grande sentido que um homem, seja ele quem for, tente violar uma empregada do hotel onde se encontra hospedado, no próprio quarto! Ou é muito doente ou parvo!! Ora parvo não creio e doente... mesmo assumindo que o homem é um violador compulsivo, que diabo bem que poderia ter feito a coisa num local onde não tivessem a sua identificação!
Por isto tudo parece-me que a história está assim um pouquinho mal alinhavada!
Não obstante a situação acontece porque existem antecedentes. Ou seja existiam vicios privados por detrás das públicas virtudes!! E os primeiros sempre foram mais ou menos abafados com base na impunidade para a qual resvalou , quase que em corruptela, a palavra imunidade.
Mas toda a bela tem senão: em política como dizia ontem um dos comentadores ( seguramente o prof. Marcelo!) não existe presunção de inocência. A opinião pública é o mais impiedoso dos tribunais e por muito que se prove a inocência do homem, o político morreu.
O facto deste acontecimento cair sobre a alçada da justiça Norte Americana,  poderá levar as figuras públicas duma forma geral e os politicos de maneira muito particular, a tomarem uma maior consciência dos seus papéis de lideres de massas para o melhor e para o pior .
Sim porque se o caso tivesse sido em Portugal possivelmente o juíz iria inocentá-lo, independentemente das provas, alegando que a violação não ocorrera e que a violência era " um ponto de vista". Ou seja mandava-o em paz porque fora um violadormal sucedido e  meiguinho.

quinta-feira, 12 de maio de 2011

DE VOLTA ÀS FRONTEIRAS!

A imprensa internacional noticia  que no Conselho de Ministros de hoje foi abordada a questão da reactivação do controlo fronteiriço nos paíse do Tratado Schengen.
As recentes posições da França e da Itália a braços com as vagas massivas de imigrantes que vêm chegando a Lampedusa, reacendeu a questão que há muito se vinha abordando à boca pequena, já que o assunto é politoicamente incorrecto.
Com a posição agora também assumida pela Dinamarca, o Tratado terá que forçosamente ser revisto.
A questão da reactivação das fronteiras encontra-se consignado no próprio acordo estando porém   condicionado a situações pontuais, devidamente justificadas e limitadas no tempo.
Aconteceu com Portugal aquando do Euro 2004.
Mas o que se propõe agora é algo bem mais alargado. Há quem defenda que se reactiveas fronteiras limitrofes, deixando as internas livres. Mas não nos podemos esquecer que os países do Tratado não coincidem com os paíse da UE. E já agora como definir e controlar uma fronteira sempre em mutação?
Mais uma dor de cabeça para a Europa que se vê a braços com a maior vaga migratória da História.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

EU - EUROPA

No Dia Da Europa é forçosa a reflexão sobre quem somos e o que pretendemos ser, de maneira a repensarmos a ideia que presidiu à constituição desta União que hoje se comemora.
Durante o fim de semana, vi e revi ,a convite de uns e outros, o " recado" feito pela Câmara de Cascais aos nossos parceiros Finlandeses.
Para além de ser uma belissima peça publicitária , o filme aborda a questão principal do fracasso desta Europa que se vai esboroando aos poucos.
Aquando da sua fundação, presidia a ideia duma Europa de cidadãos, um espaço de tolerância e prosperidade , baseado nas máximas de Liberdade, Igualdade e Fraternidade . Era um projecto completamente inovador e ambicioso que pretendia estabelecer uma plataforma uniforme , capaz de ultrapassar as diferenças históricas, linguisticas sociais e criar A Europa .
É certo que se tratava dum projecto ambicioso e inédito. Mas não o são todos os que culminaram em grandes passos na evolução da humanidade? Não é tarefa fácil conciliar Nações que historicamente se prefilaram em lados opostos, que se expressam em línguas diferentes, que têm perspectivas religiosas distintas.
Foi talvez por se afigurar tarefa hérculea que se foi pelo caminho mais fácil . Da Europa dos cidadãos passou-se à Europa dos Consumidores. Da Europa una, passou-se à ideia da Europa a várias velocidades. Da Europa solidária passou-se à Europa dos Estados Pater e dos Estados Subsidiários.
A Europa só poderá singrar baseada na solidariedade. Mas solidariedade é uma via de dois sentidos. Não podem ser sempre os mesmos a contribuir e os mesmos a solicitar.
Portugal tem uma oportunidade ( mais uma!) agora para reestruturar a sua economia, por forma a deixar de ser o constante filho dependente da mesada da mãe, seja ela a  Alemanha ,a França ou...E a Europa tem aqui uma vez mais ( outra!) a oportunidade para se afirmar como espaço solidário e interdependente.
 Os estados mais ricos não podem esquecer que parte do seu "in come" advém da existência dum mercado alargado que conta e muito com os países mais pobres. Não podem escamotear o facto de terem conseguido perfeitos monopólios em produções nomeadamente agrícolas e agro-pecuárias, à custa da destruição subsidiada dessas mesmas produções em países mais pequenos. A Europa foi-lhes também muito favorável.
Só juntos e unidos poderemos avançar. Caso contrário a efeméride de hoje terá os dias contados.